Em ensaio na Teresa 12/13, José Miguel Wisnik explica como a obra pianística do compositor polonês leva a plateia a uma experiência que funde o superficial e o profundo. Clique aqui para ler o texto.